História
História

QUEM SOMOS


O Instituto Monsenhor Airosa (IMA) é uma “Associação de Fiéis” da Arquidiocese de Braga, constituída em Instituição Particular de Solidariedade Social (IPSS) desde 30 de Março de 1982, sem fins lucrativos, que tem por objectivo central proporcionar acolhimento e orientação educativa a pessoas do sexo feminino que, encontrando-se em situação de carência moral e/ou sócio-familiar, necessitam de especial apoio em ordem à sua integral promoção, reintegração e realização pessoal (cf. Estatutos do Instituto Monsenhor Airosa, art. 2º).

Atualmente, desenvolve três valências – Lar de Crianças e Jovens, Lar Residencial e Lar de Idosas – onde acolhe cerca de 65 pessoas e reparte-se por dois edifícios: o Edifício-Sede, na Rua Monsenhor Airosa, em Braga e a Casa das Marinhas, para férias, na freguesia das Marinhas, em Esposende.

O IMA pretende ser um espaço de hospitalidade e acolhimento, um “porto de abrigo”, que conduza à reconstrução de uma identidade singular e de múltiplos laços sociais. Hospitalidade significa abertura, atenção, dádiva e respeito pelos outros. A hospitalidade concorre para o desenvolvimento de cada pessoa, na sua dimensão de interioridade e de alteridade.

O acolhimento supõe uma disposição permanente e atual para o outro, sem preconceitos, nem reservas.


COMO COMEÇAMOS


Impressionado pelos relatos de vida e intenções de mudança que, enquanto sacerdote, se lhe revelavam, tomou como seu desafio fundar uma instituição, na rua do Areal, em Braga, a que inicialmente chamou de “Casa d`Abrigo”, que, de acordo com os primeiros Estatutos, pretendia: “…retrahir do caminho da perdição e rehabilitar religiosa e civilmente as pessoas do sexo feminino extraviadas e sem meios de subsistência…”, dando-lhes por lema: “Pela Religião, pela Instrução e pelo Trabalho”.

Na época, não foi por todos bem visto que um jovem padre acolhesse mulheres daquele nível social e moral e as tratasse com a mesma dignidade com que devem ser tratadas as pessoas “doutra condição”, ajudando-as no seu propósito de mudança de vida, não só pelo trabalho mas também… pela instrução!

Mas, a par das incompreensões, suscitou igualmente apoios e colaborações de muitos homens e mulheres de boa vontade, sensíveis ao sofrimento alheio.

Depressa a obra se desenvolveu e ganhou notoriedade. Após ocupar várias instalações, transferiu-se definitivamente, em 1879, para o extinto Convento da Conceição, na hoje chamada Rua Monsenhor Airosa.

Em 1874, muda o nome para “Collegio da Regeneração” e vê aprovados os respectivos estatutos.

Em homenagem ao seu fundador, na passagem do centenário da fundação, em 1969, passou a chamar-se “Instituto Monsenhor Airosa” e foi dotada de novos estatutos. Detém o estatuto de IPSS desde 30 de Março de 1982, data em que foi registada na Direcção Geral de Segurança Social, passando a acumular a tutela civil à tutela canónica.

Por convite pessoal dirigido a D. Teresa de Saldanha, fundadora da Congregação das Irmãs Dominicanas de Santa Catarina de Sena, a Direcção Interna da casa passa a ser assegurada pelas irmãs dessa congregação. Foi primeira Prioresa a Madre D. Maria Catarina de Ricci Andrade e durante 126 anos (até 2003) esta ordem religiosa prestou à instituição um serviço inestimável e indelével.

Cumprindo o seu lema, a par com a instrução e para além da formação cultural e religiosa, inicia os trabalhos oficinais onde se aprende a higiene doméstica, a cozinhar, a lavar e engomar, a bordar, a costurar, a fazer hóstias, bem como as artes da sapataria, da tecelagem e até do desenho industrial.

Com o seu espírito de iniciativa e ânimo de pioneiro, quando outros igualmente tentavam lançar os fundamentos da indústria têxtil, designadamente no Vale do Ave, parte para França onde, na Fábrica Jacquard, aprende as artes da tecelagem nos teares concebidos pelo grande inventor francês. A este propósito importa citar o então director (belga) da Escola de Tecelagem de Berna: “O Padre Airosa é o homem que no seu país mais sabe e compreende o ensino da tecelagem.” (Manuel Araújo, “Indústrias de Braga”, 1923).

Dos “ateliers” por si fundados não podem também deixar de ser salientados os de produção de hóstias – para a satisfação de necessidades sentidas pela Igreja local e para a angariação de meios complementares de sustento da actividade social – e os de costura e de bordados, onde muitos enxovais se confeccionaram com esmero e gosto e se produziram muitos dos paramentos utilizados nas cerimónias religiosas, sobretudo das paróquias da arquidiocese de Braga.

A qualidade dos produtos obtidos e dos serviços prestados granjearam merecida fama a ponto de fornecerem a própria Casa Real. E motivaram muitas e importantes visitas à Instituição. De entre outras, referem-se as efectuadas pelas Rainhas de Portugal D. Maria Pia e D. Maria Amélia, pelo Presidente do Conselho José Luciano de Castro, pelo Ministro do Trabalho (já da República) Dr. Vasco Borges e pelos Presidentes da República, Generais Carmona e Ramalho Eanes.

Prosseguindo esta filosofia de vida, as Direcções que se seguiram e continuaram a obra de Monsenhor Airosa, sempre acompanhadas pela zelosa acção das Irmãs Dominicanas de Santa Catarina de Sena, reforçaram, actualizaram e diversificaram a actividade quer no plano instrução e da formação cultural, moral e religiosa, quer no da formação profissional, incutindo hábitos e disciplina de trabalho a par da habilitação ao exercício de uma profissão.

Ao longo do tempo, atingiram níveis de brilhantismo, salientado pela comunicação social, o Grupo Coral do Instituto Monsenhor Airosa, com actuações destacadas em Portugal e no estrangeiro. As festas do IMA, com peças de teatro, danças e cantares, a actividade dos grupos de percussão, cabeçudos e gigantones, as equipas que se vão formando na área do desporto, ou nos diferentes tipos de ginástica, vão continuando, na tradição da casa, a preencher as actividades formativas e lúdicas das suas utentes.

A partir de 2003, a direcção do IMA tem vindo a ser assegurada por leigos que, apoiados num corpo profissional qualificado, vêm mantendo vivos os valores e o espírito de missão que animou o P. João Pedro Airosa e os seus continuadores.

RUA MONSENHOR AIROSA
4704 - 537 Braga
Tel. 253 204 150
Fax. 253 204 151
E-mail: geral@imairosa.pt 
powered by Peakit